Results for: ódio Search Results
Family Filter:
1:59
Resumo do episódio “Left Turn Ahead” e os primeiros minutos de “The British Invasion”. Lila não quer perder Dexter e fará tudo para eles continuarem juntos.
21 Jan 2009
348
Share Video

0:25
A Indomada foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo de 17 de fevereiro a 11 de outubro de 1997. Foi escrita por Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares e dirigida por Marcos Paulo e Roberto Naar e foi apresentada em 203 capítulos.Greenville. Cidade do interior de Pernambuco, construída à imagem e semelhança da antiga Inglaterra, devido à influência dos britânicos que, muito tempo antes, ali haviam construído a Estrada de Ferro Great Western. Orgulhosos da sua cidade, que dizem ser "um pedaço da Inglaterra no Brasil", os greenvillenses seguem à risca as tradições britânicas, não abdicando nem do chá das cinco, o five o'clock tea, e chegando a misturar o inglês com o português, sempre com o inconfudível sotaque nordestino. Durante décadas, as fábricas de açúcar e rapadura fizeram daquela região um local deveras abastado. Dentre elas, tinha destaque a Usina Monguaba, propriedade da família mais rica e tradicional de Greenville, os Mendonça e Albuquerque. Tudo começa quando Eulália (Adriana Esteves), a herdeira da Monguaba, se apaixona pelo cortador de cana Zé Leandro (Carlos Alberto Riccelli), com quem vive um intenso romance. Desconfiado, o irmão mais velho de Eulália, Pedro Afonso (Claudio Marzo), temendo as verdadeiras intenções de Zé Leandro, proíbe o namoro, chegando a ameaçar o rapaz de morte. Temendo pela vida do amado, Eulália ajuda-o a fugir, enquanto ele lhe jura regressar um dia para buscá-la. Meses depois, Eulália dá à luz uma filha dele, Lúcia Helena (conhecida apenas como Helena), a quem ensina a esperar pelo pai. Quinze anos depois, um forasteiro de nome Teobaldo Faruk, (José Mayer), filho de pai egípcio (este já falecido) e mãe brasileira, chega à cidade e logo se encanta com Eulália. Todavia, ela ainda espera por Zé Leandro. Por outro lado, Altiva (Eva Wilma), esposa de Pedro Afonso, humilha Teobaldo, afirmando que um forasteiro sem eira nem beira não é digno de se aproximar de uma Mendonça e Albuquerque. Teobaldo jura vingança. Pedro Afonso, viciado em jogo, deve dinheiro a várias pessoas, a quem assinou promissórias. Certo dia, Zé Leandro regressa, disposto a fugir com Eulália e Helena (Leandra Leal) e começar com elas uma nova vida, com uma fortuna em pedras preciosas que conseguiu juntar, ao trabalhar num garimpo. Depois de combinar a fuga, ensina a Helena o valor da terra, o que ela jamais esquecerá. Todavia, o barco em que fogem naufraga e Zé Leandro morre afogado. Eulália morre também, pedindo a Helena que confie em Teobaldo, o qual conseguiu enriquecer. A maquiavélica Altiva consegue convencer Pedro Afonso de que a irmã o odiou e traiu durante quinze anos. Magoado, o marido se recusa a fazer o velório de Eulália em sua casa. Teobaldo descobre e resolve agir: compra todas as promissórias de Pedro Afonso, tornando-se seu único credor e, logo, dono de todos os seus bens. Sabendo-o impossibilitado de pagar a dívida com dinheiro, exige outro tipo de pagamento: o velório de Eulália será na mansão dos Mendonça e Albuquerque e Helena casará com ele. Em troca, Pedro Afonso e a família poderão continuar a morar na mansão e receberão da parte de Teobaldo uma mesada para poderem subsistir. Mantendo a dignidade, Pedro Afonso deixa que seja Helena a decidir e a menina aceita casar com Teobaldo. Este combina com ela mandá-la para Londres até terminar os estudos, só então devendo Helena regressar para casar com o forasteiro, assim acontecendo. Teobaldo conta ter um filho com Helena, para poder juntar o seu sangue ao dos Mendonça e Albuquerque, como forma de completar a sua vingança contra Altiva. Dez anos depois, Helena (já interpretada por Adriana Esteves) regressa e casa com Teobaldo, pedindo a usina (que ele ganhou de Pedro Afonso e está parada há anos) como presente de casamento. A sua idéia é reativá-la para dar valor às suas terras de cana-de-açúcar, cumprindo, assim, os ideais do pai. Todavia, após o casamento com Teobaldo, ela se recusa a consumá-lo, o que o deixa fora de si. O conflito dura a novela inteira e os dois vivem uma história de ódio e amor, que movimenta toda a cidade.Lenda A lenda do Cadeirudo, um homem que saía saltando, de forma aterrorizante e ao mesmo tempo cômica, atrás das mulheres que andavam à noite pela cidade, algo parecido com o bicho-papão. No penúltimo capítulo, descobriu-se que a figura era a beata Lourdes Maria, de Sônia de Paula, que só queria zelar pela lei e bons costumes. Abertura Na abertura da novela, a então modelo estreante Maria Fernanda Cândido, se transformava nos quatros elementos: o fogo, a água, a terra e o ar. Foi umas das aberturas mais criativas e surpreendentes da Rede Globo, em toda a sua história. Vilões: Eva Wilma com seu impagável bordão "Ôxente, my God!", e Ary Fontoura, marcaram época com personagens inesquecíveis. Eles faziam a ardilosa dupla de vilões, Maria Altiva e Deputado Pitágoras.
1 Feb 2009
3039
Share Video

2:05
A Indomada foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo de 17 de fevereiro a 11 de outubro de 1997. Foi escrita por Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares e dirigida por Marcos Paulo e Roberto Naar e foi apresentada em 203 capítulos.Greenville. Cidade do interior de Pernambuco, construída à imagem e semelhança da antiga Inglaterra, devido à influência dos britânicos que, muito tempo antes, ali haviam construído a Estrada de Ferro Great Western. Orgulhosos da sua cidade, que dizem ser "um pedaço da Inglaterra no Brasil", os greenvillenses seguem à risca as tradições britânicas, não abdicando nem do chá das cinco, o five o'clock tea, e chegando a misturar o inglês com o português, sempre com o inconfudível sotaque nordestino. Durante décadas, as fábricas de açúcar e rapadura fizeram daquela região um local deveras abastado. Dentre elas, tinha destaque a Usina Monguaba, propriedade da família mais rica e tradicional de Greenville, os Mendonça e Albuquerque. Tudo começa quando Eulália (Adriana Esteves), a herdeira da Monguaba, se apaixona pelo cortador de cana Zé Leandro (Carlos Alberto Riccelli), com quem vive um intenso romance. Desconfiado, o irmão mais velho de Eulália, Pedro Afonso (Claudio Marzo), temendo as verdadeiras intenções de Zé Leandro, proíbe o namoro, chegando a ameaçar o rapaz de morte. Temendo pela vida do amado, Eulália ajuda-o a fugir, enquanto ele lhe jura regressar um dia para buscá-la. Meses depois, Eulália dá à luz uma filha dele, Lúcia Helena (conhecida apenas como Helena), a quem ensina a esperar pelo pai. Quinze anos depois, um forasteiro de nome Teobaldo Faruk, (José Mayer), filho de pai egípcio (este já falecido) e mãe brasileira, chega à cidade e logo se encanta com Eulália. Todavia, ela ainda espera por Zé Leandro. Por outro lado, Altiva (Eva Wilma), esposa de Pedro Afonso, humilha Teobaldo, afirmando que um forasteiro sem eira nem beira não é digno de se aproximar de uma Mendonça e Albuquerque. Teobaldo jura vingança. Pedro Afonso, viciado em jogo, deve dinheiro a várias pessoas, a quem assinou promissórias. Certo dia, Zé Leandro regressa, disposto a fugir com Eulália e Helena (Leandra Leal) e começar com elas uma nova vida, com uma fortuna em pedras preciosas que conseguiu juntar, ao trabalhar num garimpo. Depois de combinar a fuga, ensina a Helena o valor da terra, o que ela jamais esquecerá. Todavia, o barco em que fogem naufraga e Zé Leandro morre afogado. Eulália morre também, pedindo a Helena que confie em Teobaldo, o qual conseguiu enriquecer. A maquiavélica Altiva consegue convencer Pedro Afonso de que a irmã o odiou e traiu durante quinze anos. Magoado, o marido se recusa a fazer o velório de Eulália em sua casa. Teobaldo descobre e resolve agir: compra todas as promissórias de Pedro Afonso, tornando-se seu único credor e, logo, dono de todos os seus bens. Sabendo-o impossibilitado de pagar a dívida com dinheiro, exige outro tipo de pagamento: o velório de Eulália será na mansão dos Mendonça e Albuquerque e Helena casará com ele. Em troca, Pedro Afonso e a família poderão continuar a morar na mansão e receberão da parte de Teobaldo uma mesada para poderem subsistir. Mantendo a dignidade, Pedro Afonso deixa que seja Helena a decidir e a menina aceita casar com Teobaldo. Este combina com ela mandá-la para Londres até terminar os estudos, só então devendo Helena regressar para casar com o forasteiro, assim acontecendo. Teobaldo conta ter um filho com Helena, para poder juntar o seu sangue ao dos Mendonça e Albuquerque, como forma de completar a sua vingança contra Altiva. Dez anos depois, Helena (já interpretada por Adriana Esteves) regressa e casa com Teobaldo, pedindo a usina (que ele ganhou de Pedro Afonso e está parada há anos) como presente de casamento. A sua idéia é reativá-la para dar valor às suas terras de cana-de-açúcar, cumprindo, assim, os ideais do pai. Todavia, após o casamento com Teobaldo, ela se recusa a consumá-lo, o que o deixa fora de si. O conflito dura a novela inteira e os dois vivem uma história de ódio e amor, que movimenta toda a cidade.Cena Marcante Uma das cenas mais marcantes foi a morte de Maria Altiva (Eva Wilma), no último capítulo, que, depois de desaparecer num incêndio, vira fumaça e sobe pelos ares de Greenville, sob o olhar de toda a cidade, dizendo a seguinte frase: Me Aguardem, eu Voltarei.Destaques Lenda A lenda do Cadeirudo, um homem que saía saltando, de forma aterrorizante e ao mesmo tempo cômica, atrás das mulheres que andavam à noite pela cidade, algo parecido com o bicho-papão. No penúltimo capítulo, descobriu-se que a figura era a beata Lourdes Maria, de Sônia de Paula, que só queria zelar pela lei e bons costumes. Abertura Na abertura da novela, a então modelo estreante Maria Fernanda Cândido, se transformava nos quatros elementos: o fogo, a água, a terra e o ar. Foi umas das aberturas mais criativas e surpreendentes da Rede Globo, em toda a sua história. Vilões Eva Wilma com seu impagável bordão "Ôxente, my God!", e Ary Fontoura, marcaram época com personagens inesquecíveis. Eles faziam a ardilosa dupla de vilões, Maria Altiva e Deputado Pitágoras. Bordões e língua Os bordões de Scarleth Mackenzie Pitiguary , personagem de Luiza Thomé, "Vamos nhanhar?" e da irreverente e autoritária juíza Mirandinha, personagem de Betty Faria, "Pelos rigores da lei". O "portinglês" falado pelos personagens virou moda.
30 Jan 2009
6698
Share Video

6:21
A Indomada foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo de 17 de fevereiro a 11 de outubro de 1997. Foi escrita por Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares e dirigida por Marcos Paulo e Roberto Naar e foi apresentada em 203 capítulos. Greenville. Cidade do interior de Pernambuco, construída à imagem e semelhança da antiga Inglaterra, devido à influência dos britânicos que, muito tempo antes, ali haviam construído a Estrada de Ferro Great Western. Orgulhosos da sua cidade, que dizem ser "um pedaço da Inglaterra no Brasil", os greenvillenses seguem à risca as tradições britânicas, não abdicando nem do chá das cinco, o five o'clock tea, e chegando a misturar o inglês com o português, sempre com o inconfudível sotaque nordestino. Durante décadas, as fábricas de açúcar e rapadura fizeram daquela região um local deveras abastado. Dentre elas, tinha destaque a Usina Monguaba, propriedade da família mais rica e tradicional de Greenville, os Mendonça e Albuquerque. Tudo começa quando Eulália (Adriana Esteves), a herdeira da Monguaba, se apaixona pelo cortador de cana Zé Leandro (Carlos Alberto Riccelli), com quem vive um intenso romance. Desconfiado, o irmão mais velho de Eulália, Pedro Afonso (Claudio Marzo), temendo as verdadeiras intenções de Zé Leandro, proíbe o namoro, chegando a ameaçar o rapaz de morte. Temendo pela vida do amado, Eulália ajuda-o a fugir, enquanto ele lhe jura regressar um dia para buscá-la. Meses depois, Eulália dá à luz uma filha dele, Lúcia Helena (conhecida apenas como Helena), a quem ensina a esperar pelo pai. Quinze anos depois, um forasteiro de nome Teobaldo Faruk, (José Mayer), filho de pai egípcio (este já falecido) e mãe brasileira, chega à cidade e logo se encanta com Eulália. Todavia, ela ainda espera por Zé Leandro. Por outro lado, Altiva (Eva Wilma), esposa de Pedro Afonso, humilha Teobaldo, afirmando que um forasteiro sem eira nem beira não é digno de se aproximar de uma Mendonça e Albuquerque. Teobaldo jura vingança. Pedro Afonso, viciado em jogo, deve dinheiro a várias pessoas, a quem assinou promissórias. Certo dia, Zé Leandro regressa, disposto a fugir com Eulália e Helena (Leandra Leal) e começar com elas uma nova vida, com uma fortuna em pedras preciosas que conseguiu juntar, ao trabalhar num garimpo. Depois de combinar a fuga, ensina a Helena o valor da terra, o que ela jamais esquecerá. Todavia, o barco em que fogem naufraga e Zé Leandro morre afogado. Eulália morre também, pedindo a Helena que confie em Teobaldo, o qual conseguiu enriquecer. A maquiavélica Altiva consegue convencer Pedro Afonso de que a irmã o odiou e traiu durante quinze anos. Magoado, o marido se recusa a fazer o velório de Eulália em sua casa. Teobaldo descobre e resolve agir: compra todas as promissórias de Pedro Afonso, tornando-se seu único credor e, logo, dono de todos os seus bens. Sabendo-o impossibilitado de pagar a dívida com dinheiro, exige outro tipo de pagamento: o velório de Eulália será na mansão dos Mendonça e Albuquerque e Helena casará com ele. Em troca, Pedro Afonso e a família poderão continuar a morar na mansão e receberão da parte de Teobaldo uma mesada para poderem subsistir. Mantendo a dignidade, Pedro Afonso deixa que seja Helena a decidir e a menina aceita casar com Teobaldo. Este combina com ela mandá-la para Londres até terminar os estudos, só então devendo Helena regressar para casar com o forasteiro, assim acontecendo. Teobaldo conta ter um filho com Helena, para poder juntar o seu sangue ao dos Mendonça e Albuquerque, como forma de completar a sua vingança contra Altiva. Dez anos depois, Helena (já interpretada por Adriana Esteves) regressa e casa com Teobaldo, pedindo a usina (que ele ganhou de Pedro Afonso e está parada há anos) como presente de casamento. A sua idéia é reativá-la para dar valor às suas terras de cana-de-açúcar, cumprindo, assim, os ideais do pai. Todavia, após o casamento com Teobaldo, ela se recusa a consumá-lo, o que o deixa fora de si. O conflito dura a novela inteira e os dois vivem uma história de ódio e amor, que movimenta toda a cidade. Uma das cenas mais marcantes foi a morte de Maria Altiva (Eva Wilma), no último capítulo, que, depois de desaparecer num incêndio, vira fumaça e sobe pelos ares de Greenville, sob o olhar de toda a cidade, dizendo a seguinte frase: Me Aguardem, eu Voltarei. Destaques Lenda A lenda do Cadeirudo, um homem que saía saltando, de forma aterrorizante e ao mesmo tempo cômica, atrás das mulheres que andavam à noite pela cidade, algo parecido com o bicho-papão. No penúltimo capítulo, descobriu-se que a figura era a beata Lourdes Maria, de Sônia de Paula, que só queria zelar pela lei e bons costumes. Abertura Na abertura da novela, a então modelo estreante Maria Fernanda Cândido, se transformava nos quatros elementos: o fogo, a água, a terra e o ar. Foi umas das aberturas mais criativas e surpreendentes da Rede Globo, em toda a sua história. Vilões Eva Wilma com seu impagável bordão "Ôxente, my God!", e Ary Fontoura, marcaram época com personagens inesquecíveis. Eles faziam a ardilosa dupla de vilões, Maria Altiva e Deputado Pitágoras. Bordões e língua Os bordões de Scarleth Mackenzie Pitiguary , personagem de Luiza Thomé, "Vamos nhanhar?" e da irreverente e autoritária juíza Mirandinha, personagem de Betty Faria, "Pelos rigores da lei". O "portinglês" falado pelos personagens virou moda.
25 Mar 2009
7611
Share Video

2:42
A Indomada foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo de 17 de fevereiro a 11 de outubro de 1997. Foi escrita por Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares e dirigida por Marcos Paulo e Roberto Naar e foi apresentada em 203 capítulos. Greenville. Cidade do interior de Pernambuco, construída à imagem e semelhança da antiga Inglaterra, devido à influência dos britânicos que, muito tempo antes, ali haviam construído a Estrada de Ferro Great Western. Orgulhosos da sua cidade, que dizem ser "um pedaço da Inglaterra no Brasil", os greenvillenses seguem à risca as tradições britânicas, não abdicando nem do chá das cinco, o five o'clock tea, e chegando a misturar o inglês com o português, sempre com o inconfudível sotaque nordestino. Durante décadas, as fábricas de açúcar e rapadura fizeram daquela região um local deveras abastado. Dentre elas, tinha destaque a Usina Monguaba, propriedade da família mais rica e tradicional de Greenville, os Mendonça e Albuquerque. Tudo começa quando Eulália (Adriana Esteves), a herdeira da Monguaba, se apaixona pelo cortador de cana Zé Leandro (Carlos Alberto Riccelli), com quem vive um intenso romance. Desconfiado, o irmão mais velho de Eulália, Pedro Afonso (Claudio Marzo), temendo as verdadeiras intenções de Zé Leandro, proíbe o namoro, chegando a ameaçar o rapaz de morte. Temendo pela vida do amado, Eulália ajuda-o a fugir, enquanto ele lhe jura regressar um dia para buscá-la. Meses depois, Eulália dá à luz uma filha dele, Lúcia Helena (conhecida apenas como Helena), a quem ensina a esperar pelo pai. Quinze anos depois, um forasteiro de nome Teobaldo Faruk, (José Mayer), filho de pai egípcio (este já falecido) e mãe brasileira, chega à cidade e logo se encanta com Eulália. Todavia, ela ainda espera por Zé Leandro. Por outro lado, Altiva (Eva Wilma), esposa de Pedro Afonso, humilha Teobaldo, afirmando que um forasteiro sem eira nem beira não é digno de se aproximar de uma Mendonça e Albuquerque. Teobaldo jura vingança. Pedro Afonso, viciado em jogo, deve dinheiro a várias pessoas, a quem assinou promissórias. Certo dia, Zé Leandro regressa, disposto a fugir com Eulália e Helena (Leandra Leal) e começar com elas uma nova vida, com uma fortuna em pedras preciosas que conseguiu juntar, ao trabalhar num garimpo. Depois de combinar a fuga, ensina a Helena o valor da terra, o que ela jamais esquecerá. Todavia, o barco em que fogem naufraga e Zé Leandro morre afogado. Eulália morre também, pedindo a Helena que confie em Teobaldo, o qual conseguiu enriquecer. A maquiavélica Altiva consegue convencer Pedro Afonso de que a irmã o odiou e traiu durante quinze anos. Magoado, o marido se recusa a fazer o velório de Eulália em sua casa. Teobaldo descobre e resolve agir: compra todas as promissórias de Pedro Afonso, tornando-se seu único credor e, logo, dono de todos os seus bens. Sabendo-o impossibilitado de pagar a dívida com dinheiro, exige outro tipo de pagamento: o velório de Eulália será na mansão dos Mendonça e Albuquerque e Helena casará com ele. Em troca, Pedro Afonso e a família poderão continuar a morar na mansão e receberão da parte de Teobaldo uma mesada para poderem subsistir. Mantendo a dignidade, Pedro Afonso deixa que seja Helena a decidir e a menina aceita casar com Teobaldo. Este combina com ela mandá-la para Londres até terminar os estudos, só então devendo Helena regressar para casar com o forasteiro, assim acontecendo. Teobaldo conta ter um filho com Helena, para poder juntar o seu sangue ao dos Mendonça e Albuquerque, como forma de completar a sua vingança contra Altiva. Dez anos depois, Helena (já interpretada por Adriana Esteves) regressa e casa com Teobaldo, pedindo a usina (que ele ganhou de Pedro Afonso e está parada há anos) como presente de casamento. A sua idéia é reativá-la para dar valor às suas terras de cana-de-açúcar, cumprindo, assim, os ideais do pai. Todavia, após o casamento com Teobaldo, ela se recusa a consumá-lo, o que o deixa fora de si. O conflito dura a novela inteira e os dois vivem uma história de ódio e amor, que movimenta toda a cidade.Uma das cenas mais marcantes foi a morte de Maria Altiva (Eva Wilma), no último capítulo, que, depois de desaparecer num incêndio, vira fumaça e sobe pelos ares de Greenville, sob o olhar de toda a cidade, dizendo a seguinte frase: Me Aguardem, eu Voltarei. Destaques Lenda A lenda do Cadeirudo, um homem que saía saltando, de forma aterrorizante e ao mesmo tempo cômica, atrás das mulheres que andavam à noite pela cidade, algo parecido com o bicho-papão. No penúltimo capítulo, descobriu-se que a figura era a beata Lourdes Maria, de Sônia de Paula, que só queria zelar pela lei e bons costumes. Abertura Na abertura da novela, a então modelo estreante Maria Fernanda Cândido, se transformava nos quatros elementos: o fogo, a água, a terra e o ar. Foi umas das aberturas mais criativas e surpreendentes da Rede Globo, em toda a sua história. Vilões Eva Wilma com seu impagável bordão "Ôxente, my God!", e Ary Fontoura, marcaram época com personagens inesquecíveis. Eles faziam a ardilosa dupla de vilões, Maria Altiva e Deputado Pitágoras. Bordões e língua. Os bordões de Scarleth Mackenzie Pitiguary , personagem de Luiza Thomé, "Vamos nhanhar?" e da irreverente e autoritária juíza Mirandinha, personagem de Betty Faria, "Pelos rigores da lei". O "portinglês" falado pelos personagens virou moda. Outros destaques Destaque também para Renata Sorrah e Eliane Giardini interpretando as mal faladas Zenilda e Santinha. As atrizes brilharam em personagens bem diferentes de outros que já fizeram, respectivamente a dona do bordel local e a romântica alcoólatra irmã de Altiva.
2 Feb 2009
5828
Share Video

3:30
Bob Dylan – Blowin’ in the Wind Interpretada por Peter, Paul & Mary How many roads must a man walk down Before they call him a man? How many seas must a white dove sail Before she sleeps in the sand? How many times must the cannonballs fly Before they're forever banned?? The answer my friend, is blowing in the wind... ******************* Aos 21 anos, Bob Dylan compõe a música “Blowin’ in the Wind”. 1962... Tempos de crise, guerras, discriminação racial e religiosa, conflitos sociais, violência, ódio... A letra levanta uma série de questões filosóficas sobre a paz, a guerra, a compaixão, a liberdade. É o enfoque de esperança com que são tratados estes temas transcendentes e intemporais, que permite conservar a sua vigência mais de 40 anos depois... A los 21 años, Bob Dylan compone la canción “Blowin’ in the Wind”. 1962... Tiempos de crisis, guerras, discriminación racial y religiosa, conflictos sociales, violencia, desamor... La letra plantea una serie de cuestiones filosóficas sobre la paz, la guerra, la compasión, la libertad. Es el enfoque de esperanza con que trata estos temas trascendentales y atemporales, que le permite conservar su vigencia más de 40 años después...
2 Nov 2009
2880
Share Video

3:09
Movimento: Liberte a Terra - destinado a gerar um campo energético positivo para equilibrar a onda de destruição, violência, poluição e ódio que circunda nosso planeta.
4 Aug 2010
452
Share Video

1:58
A trama segue dois amigos que se aventuram pelo mundo, todo o seu tempo livre é gasto construindo lança-chamas e armas de destruição em massa na esperança de que um apocalipse global. Enquanto esperam o fim do mundo, seu apelo à emoção vem inesperadamente quando um deles encontra uma jovem carismática e acaba se apaixonando. Rapidamente integrados em um novo grupo de amigos, eles partem em uma jornada de traição, amor, ódio, infidelidade e violência extrema, mais devastadora e ardente do que qualquer de suas fantasias apocalípticas.
15 Jun 2011
63
Share Video

0:19
Carolina Kasting em O Astro Capítulo de 09/08/2011, terça-feira. No velório de Salomão Hayalla (Daniel Filho), Nádia (Vera Zimmerman) e Jamile (Carolina Kasting). Nádia confessa todo o seu ódio por Salomão devido ele ter exposto que ela e Youssef (José Rubens Chachá) não poderem ter filhos. Jamile confessa ter ficado enraivada quando Salomão disse que o seu casamento com Amin (Tato Gabus Mendes). Nádia diz à Jamile que Salomão já foi tarde.
20 Oct 2011
553
Share Video

1:24
http://alankardecsblog.blogspot.com/ Sabado, 29/03, lá em MG no encontro da Igreja, o Pastor que prega ódio a negros e homossexuais indiretamente responde aos protestos e manifestacoes de gays por sua saida da CDHM.
2 Apr 2013
107
Share Video

0:44
http://alankardecsblog.blogspot.com/ Sabado, 29/03, lá em MG no encontro da Igreja, o Pastor que prega ódio a negros e homossexuais indiretamente responde aos protestos e manifestacoes de gays por sua saida da CDHM.
2 Apr 2013
101
Share Video

2:03
http://alankardecsblog.blogspot.com/ Sabado, 29/03, lá em MG no encontro da Igreja, o Pastor que prega ódio a negros e homossexuais indiretamente responde aos protestos e manifestacoes de gays por sua saida da CDHM.
2 Apr 2013
129
Share Video

2:06
http://alankardecsblog.blogspot.com/ Sabado, 29/03, lá em MG no encontro da Igreja, o Pastor que prega ódio a negros e homossexuais indiretamente responde aos protestos e manifestacoes de gays por sua saida da CDHM.
2 Apr 2013
104
Share Video

10:02
http://alankardecsblog.blogspot.com/ Na epoca em que foi desmascarado (juntamente das fazendas e mansoes) pelo jornalismo da Rede Record, o Apostolo Boiadeiro demonstra todo o seu sentimento de odio para com o pobre jornalista Marcelo Rezende, que hoje dá uma verdadeira lição de como lidar com tanto ódio e rancor daqueles se dizem 'Homem de Deus'.
3 Apr 2013
348
Share Video

1:31
X-Men: Primeira Classe é um filme de ação e de ficção que conta a história da famosa saga dos X-Men antes de Charles Xavier e Erik Lensherr assumirem os codinomes de Professor X e Magneto, respectivamente. Naquela época, os Charles e Lensherr eram apenas dois jovens descobrindo seus poderes. O primeiro era formado em teologia e filosofia com poderes telepáticos e o segundo descobriu seu poder de controlar metais após ver sua mãe ser assassinada por guardas nazistas em um campo de concentração alemão na Polônia. Após se conhecerem, Charles e Lensherr passam a ser grandes amigos e começam a trabalhar com outros mutantes a fim de deter o Armagedom. Nesse processo, uma grave desavença acontece e o que era uma grande amizade é substituído pelo ódio, dando origem à eterna guerra entre a Irmandade de Magneto e os X-Men do Professor X. Saiba mais em: http://www.dicasfilme.com/2013/06/x-men-primeira-classe.html
22 Jun 2013
158
Share Video

6:51
(...)um coração dividido entre o amor e o ódio(...)
18 Jun 2011
7950
Share Video