Results for: danilo Search Results
Family Filter:
5:30
Team Brazil explains their passion for big wave surfing. Yuri Soledade Rodrigo Resende Danilo Couto
30 Sep 2010
1005
Share Video

1:17
In una pianura zuppa di pioggia, in una landa ai margini di tutto, dove i campi e i fiumi si mischiano con i capannoni, le villette con il prato davanti e i concessionari di automobili, vivono un padre e un figlio. Rino e Cristiano Zena. Uniti da un amore viscerale che si nutre di sopraffazione e violenza. Tirano avanti un'esistenza orgogliosa insieme a un paio di balordi: Quattro Formaggi, rimasto strano dopo un incidente con i fili dell'alta tensione, e Danilo Aprea, abbandonato dalla moglie e segnato dalla perdita della figlia. Un giorno decidono che è arrivato il momento di dare una svolta alle loro vite. Il piano è semplice: scassinare un Bancomat. I protagonisti di questa fiaba apocalittica si ritrovano così in una notte di tempesta, affollata di fantasmi e rimorsi, in cui i fiumi straripano e il fango sembra seppellire ogni speranza. Ma dalle tenebre emerge una ragazzina bionda che sprigiona una forza oscura e finisce per cambiare per sempre i loro destini... Eppure è proprio nel buio delle aspirazioni dei personaggi che popolano il romanzo che Ammaniti riesce a cogliere la luce che li anima e che ce li rende familiari fino a farceli amare. Nella cieca brutalità della vita o nella sua tragicomica normalità, sono anche loro creature che cercano il proprio Dio.
16 Sep 2008
897
Share Video

9:05
BOTNIA INTENTA DESVIRTUAR EL DEBATE. 19/08/2005. Botnia intenta desvirtuar el debate, por Víctor Bacchetta. Uno de los técnicos uruguayos contratados por la empresa finlandesa Botnia salió a la prensa a descalificar –en grueso estilo– las críticas a la instalación en el país de 2 plantas de celulosa con tecnología ECF. Más que un aporte a la discusión, es una tentativa de desvirtuarla, para que no se avance demasiado en el tema. Poco a poco, pero sin vacilación, ha crecido en Uruguay y Argentina, el debate en torno a la instalación de 2 fábricas de celulosa sobre el río Uruguay. Un debate nada fácil, porque deben usarse términos y datos técnicos poco manejados hasta el presente, pero que es imprescindible. No obstante, han surgido señales de que algunos actores quieren desvirtuar la polémica en curso. Bajo el titular "Severas críticas a los ecologistas por su oposición a plantas de celulosa", el diario La República publicó, el domingo 14 de agosto pasado, una entrevista de su corresponsal en Fray Bentos, Sandra Dodera, al doctor Danilo Antón, en donde con las credenciales de gran experiencia y dominio técnico se incurre en varias inverdades, gruesos calificativos y errores de valoración. Antón es un geógrafo uruguayo, doctorado en Francia, se desempeñó como director o profesor en centros de investigaciones y universidades de México, Arabia Saudita, Canadá y Uruguay, dirigió proyectos en más de 40 países de África, Asia y América Latina, investigó en geomorfología, hidrogeología, geología y sedimentología y tiene varios libros publicados. En la entrevista (conversación), el doctor Antón alude, en forma difusa, a que estuvo trabajando para la empresa Botnia. Sin duda, el Informe Ambiental Resumen (IAR) presentado por Botnia a la Dinama, coloca a Danilo Antón a la cabeza del equipo que habría realizado estudios de suelo, geología, hidrogeología y aguas subterráneas. Por cierto, además de contratar a profesionales, estas empresas emplean a técnicos del país en donde proyectan operar y este factor, la condición criolla, también suele ser utilizado como argumento para validar las conclusiones del trabajo. Río Uruguay, un gran receptor de basura. Luego de afirmar que "el río Uruguay es un cuerpo receptor enorme", el doctor Antón agrega: "la planta de celulosa funciona así, si funciona bien el equipo de tratamiento la misma tiene muy poco impacto, casi ningún impacto en el medioambiente. Pero vamos a imaginar el peor de los escenarios. Que algo tenga bastante impacto... eso se va diluyendo algunas cuadras río abajo. Seguramente menos de 10 km, en 4 o 5 km se deja de sentir incluso la diferencia de temperatura... " Estas palabras coinciden con las conclusiones del IAR de Botnia y, también, con su falta de seriedad científica. Decir que el río Uruguay es un cuerpo receptor "enorme" no significa nada si no se habla sobre el estado actual del mismo con respecto a su calidad original. Y la afirmación posterior, que no hace referencia al volumen ni a las sustancias del efluente previsto por Botnia, induce directamente al engaño. En cuanto al estado del río Uruguay, desde hace unos años se constata a través de distintos estudios un creciente deterioro de la calidad del agua, alterada por poblaciones ribereñas de Argentina, Brasil y Uruguay, que vierten tanto sus redes sanitarias como los efluentes de las industrias locales, prácticamente todos sin tratamiento. En el propio informe confeccionado por la Dinama para evaluar el IAR de Botnia, del 11/02/2005 (Expte: 2004/14001/1/01177), se dice lo siguiente: "La información de la calidad del agua del Río Uruguay presentada en el ESIA induce a concluir que existen parámetros cuya concentración excede los límites establecidos por el Decreto 253/79 y/o por el Digesto sobre Usos del Río Uruguay de la CARU para aguas Clase I (agua bruta destinada al abastecimiento público con tratamiento convencional). En algunos casos, los valores registrados exceden inclusive los límites para usos menos exigentes. Adicionalmente, el análisis de información histórica de calidad del agua del Río Uruguay evidencia que este curso presenta problemas de eutrofización, consecuencia de una elevada carga de nutrientes. Esta situación ha generado frecuentes floraciones de algas, en algunos casos con importante grado de toxicidad dado por floraciones de cianobacterias. Estas floraciones, que en los últimos años han mostrado un incremento en frecuencia e intensidad, constituyen un riesgo sanitario y generan importantes pérdidas económicas ya que interfieren con algunos usos del agua tales como las actividades recreativas y el abastecimiento público de agua potable." "A esta situación ya existente se debe agregar, dice la Dinama, que en el futuro, el efluente de la planta de Botnia, descargará un total de 200 toneladas anuales de nitrógeno, y 20 toneladas de fósforo, valores que equivalen aproximadamente a la descarga de los efluentes cloacales sin tratar de una ciudad de 65000 habitantes". O sea, tres ciudades de Fray Bentos y, si contamos a Ence, una y media más. Pues bien, queda demostrado que la capacidad receptora del río Uruguay ya está bastante comprometida, pero además las cifras citadas sobre el vertido de Botnia sólo se refieren al nitrógeno y el fósforo. Dentro de un volúmen previsto de 41000 metros cúbicos diarios de efluentes que se volcarán al río, las plantas de celulosa de tecnología ECF elegidas para el Uruguay, contienen otros elementos contaminantes peligrosos que incluyen diversos compuestos del cloro, aquí entran las dioxinas y furanos, y la llamada carga de TSS, Total de Sólidos Suspendidos. Sobre este aspecto, el doctor Antón reitera que la contaminación será insignificante o nula y asegura que, en la peor hipótesis, esto "se va diluyendo algunas cuadras río abajo". La ligereza es total, porque los policlorados, aún en bajas concentraciones, son no destructibles y bioacumulables, pasan de una especie a otra, inclusive al humano, y sus efectos se perciben a largo plazo. Por lo tanto, es irresponsable minimizarlos y justificar no controlarlos. Sin base técnica, hay que pensar que el motivo sea otro: la rentabilidad, porque el control eleva los costos. Al final, alguien tiene que producir papel. Más adelante, la entrevista al doctor Antón apela a un argumento ingenuo, pero que ha sido utilizado incluso por autoridades del gobierno uruguayo para justificar su decisión, al decir que "alguien tiene que producir papel", como si los ecologistas estuvieran en contra de la producción y los usos apropiados del papel. La periodista Dodera afirma: "Los ecologistas para difundir sus ideas y su posición en contra de las celulosas, utilizan el papel". Y el Dr. Antón acompaña diciendo: "No sólo para difundir las ideas, si usamos el papel tenemos que ser conscientes que alguien en algún lugar produce ese papel, o sea que en algún lugar hay una planta de celulosa para producir ese papel y esas plantas tienen efluentes, y alguien se va a quejar de esa situación (...) Y la verdad es que uno es cómplice, si uno considera que algo es malo, que es un crimen, uno está cometiendo un crimen porque está comprando papel. Yo creo que hay un entrevero, una contradicción mental de esta gente. Cuando uno se pone en contra de algo, tiene en su vida que expresarlo también, uno no puede decir una cosa y hacer otra." Sin duda, un "entrevero mental" es lo que busca esta entrevista, posiblemente para que todo siga entreverado como está. En primer lugar, la producción de celulosa y sus derivados en el mundo actual tiene un destino principal superfluo, mucho más allá del papel necesario para escribir y publicar. En segundo lugar, no hay una única forma de producir celulosa y la elegida para el río Uruguay no es la mejor. Veamos sólo algunos datos para respaldar estos hechos. De acuerdo con la FAO, el consumo de papel en el planeta se multiplicó por tres en los últimos 30 años y en el año 2000 se calculaba que aumentaría en 50% para el año 2010. Pero todos los países no consumen igual: en el Norte se consume 14 veces más papel y 10 veces más madera que en el Sur o, desde otro ángulo, los países más industrializados consumen 81% del papel y 76% de la madera en el mundo. Por persona y por año, en Francia se consumen 190 kg de papel y cartón, en Estados Unidos esa cifra se eleva a 330 kg y en Finlandia a 332 kg, pero en Uruguay son sólo 40 kg y en China e India promedia menos de 10 kg. La producción mundial de papel supera hoy los 300 millones de toneladas anuales, pero la mayor parte de este crecimiento nunca estuvo destinada a satisfacer reales necesidades humanas, sino a generar formas de consumo superfluo que aseguren la rentabilidad de la industria de la celulosa y el papel. Y a generar más basura: el papel y cartón es el 40% de los desechos sólidos municipales en EEUU. Nadie que piense seriamente en las necesidades humanas fundamentales puede dudar de que es posible reducir esa espiral de consumo desatada sin afectar las aplicaciones útiles del cartón y del papel. Para alcanzar ese nivel de producción necesaria, además, existen procedimientos menos depredadores, aumentando el reciclaje, y tecnologías limpias y seguras, libres de cloro y sus derivados. Botnia, Ence y los técnicos que les sirven, las autoridades que apoyan la instalación de estas plantas en Uruguay, todos hablan en favor del medio ambiente. Hablan de "mejores tecnologías disponibles" y de "niveles de contaminación permitidos" pero, tratándose de producir papel útil, ninguno ha explicado porqué utilizan la tecnología ECF, que es contaminante y sus controles no logran la seguridad deseada. Para agrandar el 'entrevero mental', Antón dice que el tema central "es una cuestión de poder. El sindicato de los trabajadores de la industria del papel es muy fuerte y las empresas son cooperativas, como el caso de Botnia". Sí, el sitio Web de Botnia dice que es una "cooperativa de propietarios de bosques finlandeses, y de las papeleras M-Real Oyj y UPM-Kymmene Oyj". ¡Pobrecita Botnia!. Descalificando, quedamos todos iguales. Finalmente, el Dr. Antón, haciendo un gran esfuerzo para explicar la oposición a las plantas de celulosa dice que "esto se está manejando con mucha irracionalidad. De una irracionalidad que no se puede creer. No se ponen los hechos sobre la mesa, se inventan cosas y se tiran. Y he notado que no se le está dando la información objetiva a la población, no es por culpa de los periodistas ni de nadie, y es porque la sociedad funciona así, muy politizada desde el peor punto de la palabra." A esa altura de la entrevista, parecería que el 'entrevero mental' lo pescó también al entrevistado pero, por lo visto, Antón no sólo quiere descalificar a los que se oponen a sus actuales puntos de vista –con denominaciones tales como "irracionales", "cuenteros", "esquizofrénicos", "locos", etc.–, sino que quiere descalificar el debate, con aquel argumento de que 'están en contra porque están contra mí'. Algo similar es la última afirmación de Dodera, al decir: "Acá hay juegos de poder muy complejos que están jugando. Hay problemas de poder y van a jugar un rol y eso no es que sea bueno ni malo, la vida es así" (sic). O sea, reducen la vida a un juego de poder, en donde el poder da derechos. Así actúan hoy ciertas empresas, políticos, técnicos e individuos, pero no les daremos el gusto de imitarlos. Sería mejor quedarnos con la imagen del profesor Danilo Antón al final de un trabajo suyo de algunos años atrás, cuando escribió: "En esta 'nave-Tierra', sin embargo, no podemos darnos 'el lujo' de arriesgarnos a sobrepasar los límites, cualesquiera que éstos sean; tal vez no haya una segunda oportunidad". (Antón 1999). Víctor Bacchetta. Rel-UITA.
1 May 2008
373
Share Video

11:34
En la siguiente entrega de Expolit 2007 para Vida Extrema Podcast. La segunda parte del resumen de este grandioso dia cargado de conciertos y excelentes conferensistas. Ha sido un episodio tan importante que al igual que el resumen del sexto dia lo hemos dividido en dos partes para que todos puedan tener una idea general de lo mas sobresaliente en la recta final de Expolit 2007 on-line. Los artistas destacados de este dia fueron: Aline Barrios, Danilo Montero, Vertical, Julissa, Alejandra, Kristy Mota, Jacob Ramos, Raza For Christ, Redimi2, Michelle Khury,Abraham, Zona 7 Zaga; entre otros y las palabras del Autor Fred Stoeker, escritor del libro "la batalla de cada hombre". No te pierdas el proximo capitulo a travez de www.vidaextrema****
17 Oct 2008
158
Share Video

14:02
En la siguiente entrega de Expolit 2007 para Vida Extrema Podcast. La primera parte del resumen de este grandioso dia cargado de conciertos y excelentes conferensistas. Ha sido un episodio tan importante que al igual que el resumen del sexto dia lo hemos dividido en dos partes para que todos puedan tener una idea general de lo mas sobresaliente en la recta final de Expolit 2007 on-line. Los artistas destacados de este dia fueron: Aline Barrios, Danilo Montero, Vertical, Julissa, Alejandra, Kristy Mota, Jacob Ramos, Raza For Christ, Redimi2, Michelle Khury, Zaga; entre otros y las palabras del Autor Fred Stoeker, escritor del libro "la batalla de cada hombre". No te pierdas el proximo capitulo a travez de www.vidaextrema****
17 Oct 2008
164
Share Video

1:56
Raridade - O primeiro encontro entre o diplomata Vinicius de Moraes e o jovem - e já afamado - compositor Antonio Carlos Jobim aconteceu em um bar no centro do Rio de Janeiro , em 1956. Desta parceria nasceram belas composições que se tornaram conhecidas em todo o mundo, tais como - Felicidade - Garota de Ipanema - Chega de Saudade, entre tantas outras. Gravado em 18 de outubro de 1978, esse concerto é um registro inédito, raro e único da apresentação destes dois - monstros sagrados - da música brasileira nos estúdios da RTSI televisione svizzera. o show - que tem participação especial de Toquinho e Miúcha - reúne grandes sucessos da dupla Vinícius & Jobim, além da parceria destes com outro autores, entre eles Chico Buarque e Caetano Veloso, No repertório canções como: Tarde em Itapuã, Desafinado, wave, águas de março, samba do avião, o que será e muito mais. Além do próprio Jobim ao piano e de Toquinho no violão,os músicos Azeitona - baixo - Mutinho - bateria - Roberto Sion - flauta e sax - e Georgina de Moraes - percusão - mostram ao mundo toda a elegância e a beleza da musica brasileira. vai levando samba para vinícius a felicidade água de beber sei lá berimbau consolação canto de ossanha Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim (Rio de Janeiro, 25 de janeiro de 1927 — Nova Iorque, 8 de dezembro de 1994), mais conhecido como Tom Jobim, foi um compositor, maestro, pianista, cantor, arranjador e violonista brasileiro. É considerado um dos maiores expoentes da música brasileira e um dos criadores do movimento da Bossa Nova. Tom Jobim é um dos nomes que melhor representa a música brasileira na segunda metade do século XX e é praticamente uma unanimidade entre críticos e público em termos de qualidade e sofisticação musical.Dorival Caymmi (Salvador, 30 de abril de 1914 — Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2008) foi um cantor, compositor, pintor e ator brasileiro. Compôs inspirado pelos hábitos, costumes e as tradições do povo baiano[1]. Tendo como forte influência a música negra, desenvolveu um estilo pessoal de compor e cantar, demonstrando espontaneidade nos versos, sensualidade e riqueza melódica. Morreu em 16 de agosto de 2008, aos 94 anos, em casa, às seis horas da manhã, por conta de insuficiência renal e falência múltipla dos orgãos em consequência de um câncer renal que possuia há 9 anos.[2]. Permanecia em internação domiciliar desde dezembro de 2007. Poeta popular, compôs obras como Marina, Modinha para Gabriela, Maracangalha, Saudade de Itapuã, O Dengo que a Nega Tem, Rosa Morena. Filho de Durval Henrique Caymmi e Aurelina Soares Caymmi, era casado com Adelaide Tostes, a cantora Stella Maris. Todos os seus três filhos são também cantores: Dori Caymmi, Danilo Caymmi e Nana Caymmi Marcus Vinicius da Cruz de Melo Moraes (Rio de Janeiro, 19 de outubro de 1913 — Rio de Janeiro, 9 de julho de 1980) foi um diplomata, jornalista, poeta e compositor brasileiro. Poeta essencialmente lírico, o poetinha (como ficou conhecido) notabilizou-se pelos seus sonetos, forma poética que se tornou quase associada ao seu nome. Conhecido como um boêmio inveterado, fumante e apreciador do uísque, era também conhecido por ser um grande conquistador. O poetinha casou-se por nove vezes ao longo de sua vida. Sua obra é vasta, passando pela literatura, teatro, cinema e música. No campo musical, o poetinha teve como principais parceiros Tom Jobim, Toquinho, Baden Powell e Carlos Lyra.Antonio Pecci Filho, conhecido como Toquinho, (São Paulo, 6 de julho de 1946) é um cantor, compositor e violonista brasileiro. Ganhou o hipocorístico Toquinho da mãe e já aos quatorze anos começou a ter aulas de violão com Paulinho Nogueira. Estudou harmonia com Edgar Janulo, violão clássico com Isaías Sávio e fez curso de orquestração com Léo Peracchi. Teve aulas e tornou-se amigo de Oscar Castro Neves.Heloísa Maria Buarque de Hollanda (Rio de Janeiro, 30 de novembro de 1937), mais conhecida como Miúcha, é uma cantora e compositora brasileira. Filha do historiador neerlando-brasileiro[1] Sérgio Buarque de Holanda com Maria Amélia Cesário Alvim e irmã do cantor e compositor Chico Buarque e das também cantoras Ana de Hollanda e Cristina Buarque.
2 Dec 2008
769
Share Video

4:47
Raridade - O primeiro encontro entre o diplomata Vinicius de Moraes e o jovem - e já afamado - compositor Antonio Carlos Jobim aconteceu em um bar no centro do Rio de Janeiro , em 1956. Desta parceria nasceram belas composições que se tornaram conhecidas em todo o mundo, tais como - Felicidade - Garota de Ipanema - Chega de Saudade, entre tantas outras. Gravado em 18 de outubro de 1978, esse concerto é um registro inédito, raro e único da apresentação destes dois - monstros sagrados - da música brasileira nos estúdios da RTSI televisione svizzera. o show - que tem participação especial de Toquinho e Miúcha - reúne grandes sucessos da dupla Vinícius & Jobim, além da parceria destes com outro autores, entre eles Chico Buarque e Caetano Veloso, No repertório canções como: Tarde em Itapuã, Desafinado, wave, águas de março, samba do avião, o que será e muito mais. Além do próprio Jobim ao piano e de Toquinho no violão,os músicos Azeitona - baixo - Mutinho - bateria - Roberto Sion - flauta e sax - e Georgina de Moraes - percusão - mostram ao mundo toda a elegância e a beleza da musica brasileira. vai levando samba para vinícius a felicidade água de beber sei lá berimbau consolação canto de ossanha Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim (Rio de Janeiro, 25 de janeiro de 1927 — Nova Iorque, 8 de dezembro de 1994), mais conhecido como Tom Jobim, foi um compositor, maestro, pianista, cantor, arranjador e violonista brasileiro. É considerado um dos maiores expoentes da música brasileira e um dos criadores do movimento da Bossa Nova. Tom Jobim é um dos nomes que melhor representa a música brasileira na segunda metade do século XX e é praticamente uma unanimidade entre críticos e público em termos de qualidade e sofisticação musical.Dorival Caymmi (Salvador, 30 de abril de 1914 — Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2008) foi um cantor, compositor, pintor e ator brasileiro. Compôs inspirado pelos hábitos, costumes e as tradições do povo baiano[1]. Tendo como forte influência a música negra, desenvolveu um estilo pessoal de compor e cantar, demonstrando espontaneidade nos versos, sensualidade e riqueza melódica. Morreu em 16 de agosto de 2008, aos 94 anos, em casa, às seis horas da manhã, por conta de insuficiência renal e falência múltipla dos orgãos em consequência de um câncer renal que possuia há 9 anos.[2]. Permanecia em internação domiciliar desde dezembro de 2007. Poeta popular, compôs obras como Marina, Modinha para Gabriela, Maracangalha, Saudade de Itapuã, O Dengo que a Nega Tem, Rosa Morena. Filho de Durval Henrique Caymmi e Aurelina Soares Caymmi, era casado com Adelaide Tostes, a cantora Stella Maris. Todos os seus três filhos são também cantores: Dori Caymmi, Danilo Caymmi e Nana Caymmi Marcus Vinicius da Cruz de Melo Moraes (Rio de Janeiro, 19 de outubro de 1913 — Rio de Janeiro, 9 de julho de 1980) foi um diplomata, jornalista, poeta e compositor brasileiro. Poeta essencialmente lírico, o poetinha (como ficou conhecido) notabilizou-se pelos seus sonetos, forma poética que se tornou quase associada ao seu nome. Conhecido como um boêmio inveterado, fumante e apreciador do uísque, era também conhecido por ser um grande conquistador. O poetinha casou-se por nove vezes ao longo de sua vida. Sua obra é vasta, passando pela literatura, teatro, cinema e música. No campo musical, o poetinha teve como principais parceiros Tom Jobim, Toquinho, Baden Powell e Carlos Lyra.Antonio Pecci Filho, conhecido como Toquinho, (São Paulo, 6 de julho de 1946) é um cantor, compositor e violonista brasileiro. Ganhou o hipocorístico Toquinho da mãe e já aos quatorze anos começou a ter aulas de violão com Paulinho Nogueira. Estudou harmonia com Edgar Janulo, violão clássico com Isaías Sávio e fez curso de orquestração com Léo Peracchi. Teve aulas e tornou-se amigo de Oscar Castro Neves.Heloísa Maria Buarque de Hollanda (Rio de Janeiro, 30 de novembro de 1937), mais conhecida como Miúcha, é uma cantora e compositora brasileira. Filha do historiador neerlando-brasileiro[1] Sérgio Buarque de Holanda com Maria Amélia Cesário Alvim e irmã do cantor e compositor Chico Buarque e das também cantoras Ana de Hollanda e Cristina Buarque.
2 Dec 2008
1438
Share Video

4:08
Raridade - O primeiro encontro entre o diplomata Vinicius de Moraes e o jovem - e já afamado - compositor Antonio Carlos Jobim aconteceu em um bar no centro do Rio de Janeiro , em 1956. Desta parceria nasceram belas composições que se tornaram conhecidas em todo o mundo, tais como - Felicidade - Garota de Ipanema - Chega de Saudade, entre tantas outras. Gravado em 18 de outubro de 1978, esse concerto é um registro inédito, raro e único da apresentação destes dois - monstros sagrados - da música brasileira nos estúdios da RTSI televisione svizzera. o show - que tem participação especial de Toquinho e Miúcha - reúne grandes sucessos da dupla Vinícius & Jobim, além da parceria destes com outro autores, entre eles Chico Buarque e Caetano Veloso, No repertório canções como: Tarde em Itapuã, Desafinado, wave, águas de março, samba do avião, o que será e muito mais. Além do próprio Jobim ao piano e de Toquinho no violão,os músicos Azeitona - baixo - Mutinho - bateria - Roberto Sion - flauta e sax - e Georgina de Moraes - percusão - mostram ao mundo toda a elegância e a beleza da musica brasileira. vai levando samba para vinícius a felicidade água de beber sei lá berimbau consolação canto de ossanha Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim (Rio de Janeiro, 25 de janeiro de 1927 — Nova Iorque, 8 de dezembro de 1994), mais conhecido como Tom Jobim, foi um compositor, maestro, pianista, cantor, arranjador e violonista brasileiro. É considerado um dos maiores expoentes da música brasileira e um dos criadores do movimento da Bossa Nova. Tom Jobim é um dos nomes que melhor representa a música brasileira na segunda metade do século XX e é praticamente uma unanimidade entre críticos e público em termos de qualidade e sofisticação musical.Dorival Caymmi (Salvador, 30 de abril de 1914 — Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2008) foi um cantor, compositor, pintor e ator brasileiro. Compôs inspirado pelos hábitos, costumes e as tradições do povo baiano[1]. Tendo como forte influência a música negra, desenvolveu um estilo pessoal de compor e cantar, demonstrando espontaneidade nos versos, sensualidade e riqueza melódica. Morreu em 16 de agosto de 2008, aos 94 anos, em casa, às seis horas da manhã, por conta de insuficiência renal e falência múltipla dos orgãos em consequência de um câncer renal que possuia há 9 anos.[2]. Permanecia em internação domiciliar desde dezembro de 2007. Poeta popular, compôs obras como Marina, Modinha para Gabriela, Maracangalha, Saudade de Itapuã, O Dengo que a Nega Tem, Rosa Morena. Filho de Durval Henrique Caymmi e Aurelina Soares Caymmi, era casado com Adelaide Tostes, a cantora Stella Maris. Todos os seus três filhos são também cantores: Dori Caymmi, Danilo Caymmi e Nana Caymmi Marcus Vinicius da Cruz de Melo Moraes (Rio de Janeiro, 19 de outubro de 1913 — Rio de Janeiro, 9 de julho de 1980) foi um diplomata, jornalista, poeta e compositor brasileiro. Poeta essencialmente lírico, o poetinha (como ficou conhecido) notabilizou-se pelos seus sonetos, forma poética que se tornou quase associada ao seu nome. Conhecido como um boêmio inveterado, fumante e apreciador do uísque, era também conhecido por ser um grande conquistador. O poetinha casou-se por nove vezes ao longo de sua vida. Sua obra é vasta, passando pela literatura, teatro, cinema e música. No campo musical, o poetinha teve como principais parceiros Tom Jobim, Toquinho, Baden Powell e Carlos Lyra.Antonio Pecci Filho, conhecido como Toquinho, (São Paulo, 6 de julho de 1946) é um cantor, compositor e violonista brasileiro. Ganhou o hipocorístico Toquinho da mãe e já aos quatorze anos começou a ter aulas de violão com Paulinho Nogueira. Estudou harmonia com Edgar Janulo, violão clássico com Isaías Sávio e fez curso de orquestração com Léo Peracchi. Teve aulas e tornou-se amigo de Oscar Castro Neves.Heloísa Maria Buarque de Hollanda (Rio de Janeiro, 30 de novembro de 1937), mais conhecida como Miúcha, é uma cantora e compositora brasileira. Filha do historiador neerlando-brasileiro[1] Sérgio Buarque de Holanda com Maria Amélia Cesário Alvim e irmã do cantor e compositor Chico Buarque e das também cantoras Ana de Hollanda e Cristina Buarque.
2 Dec 2008
1155
Share Video

4:18
Raridade - O primeiro encontro entre o diplomata Vinicius de Moraes e o jovem - e já afamado - compositor Antonio Carlos Jobim aconteceu em um bar no centro do Rio de Janeiro , em 1956. Desta parceria nasceram belas composições que se tornaram conhecidas em todo o mundo, tais como - Felicidade - Garota de Ipanema - Chega de Saudade, entre tantas outras. Gravado em 18 de outubro de 1978, esse concerto é um registro inédito, raro e único da apresentação destes dois - monstros sagrados - da música brasileira nos estúdios da RTSI televisione svizzera. o show - que tem participação especial de Toquinho e Miúcha - reúne grandes sucessos da dupla Vinícius & Jobim, além da parceria destes com outro autores, entre eles Chico Buarque e Caetano Veloso, No repertório canções como: Tarde em Itapuã, Desafinado, wave, águas de março, samba do avião, o que será e muito mais. Além do próprio Jobim ao piano e de Toquinho no violão,os músicos Azeitona - baixo - Mutinho - bateria - Roberto Sion - flauta e sax - e Georgina de Moraes - percusão - mostram ao mundo toda a elegância e a beleza da musica brasileira. vai levando samba para vinícius a felicidade água de beber sei lá berimbau consolação canto de ossanha Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim (Rio de Janeiro, 25 de janeiro de 1927 — Nova Iorque, 8 de dezembro de 1994), mais conhecido como Tom Jobim, foi um compositor, maestro, pianista, cantor, arranjador e violonista brasileiro. É considerado um dos maiores expoentes da música brasileira e um dos criadores do movimento da Bossa Nova. Tom Jobim é um dos nomes que melhor representa a música brasileira na segunda metade do século XX e é praticamente uma unanimidade entre críticos e público em termos de qualidade e sofisticação musical.Dorival Caymmi (Salvador, 30 de abril de 1914 — Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2008) foi um cantor, compositor, pintor e ator brasileiro. Compôs inspirado pelos hábitos, costumes e as tradições do povo baiano[1]. Tendo como forte influência a música negra, desenvolveu um estilo pessoal de compor e cantar, demonstrando espontaneidade nos versos, sensualidade e riqueza melódica. Morreu em 16 de agosto de 2008, aos 94 anos, em casa, às seis horas da manhã, por conta de insuficiência renal e falência múltipla dos orgãos em consequência de um câncer renal que possuia há 9 anos.[2]. Permanecia em internação domiciliar desde dezembro de 2007. Poeta popular, compôs obras como Marina, Modinha para Gabriela, Maracangalha, Saudade de Itapuã, O Dengo que a Nega Tem, Rosa Morena. Filho de Durval Henrique Caymmi e Aurelina Soares Caymmi, era casado com Adelaide Tostes, a cantora Stella Maris. Todos os seus três filhos são também cantores: Dori Caymmi, Danilo Caymmi e Nana Caymmi Marcus Vinicius da Cruz de Melo Moraes (Rio de Janeiro, 19 de outubro de 1913 — Rio de Janeiro, 9 de julho de 1980) foi um diplomata, jornalista, poeta e compositor brasileiro. Poeta essencialmente lírico, o poetinha (como ficou conhecido) notabilizou-se pelos seus sonetos, forma poética que se tornou quase associada ao seu nome. Conhecido como um boêmio inveterado, fumante e apreciador do uísque, era também conhecido por ser um grande conquistador. O poetinha casou-se por nove vezes ao longo de sua vida. Sua obra é vasta, passando pela literatura, teatro, cinema e música. No campo musical, o poetinha teve como principais parceiros Tom Jobim, Toquinho, Baden Powell e Carlos Lyra.Antonio Pecci Filho, conhecido como Toquinho, (São Paulo, 6 de julho de 1946) é um cantor, compositor e violonista brasileiro. Ganhou o hipocorístico Toquinho da mãe e já aos quatorze anos começou a ter aulas de violão com Paulinho Nogueira. Estudou harmonia com Edgar Janulo, violão clássico com Isaías Sávio e fez curso de orquestração com Léo Peracchi. Teve aulas e tornou-se amigo de Oscar Castro Neves.Heloísa Maria Buarque de Hollanda (Rio de Janeiro, 30 de novembro de 1937), mais conhecida como Miúcha, é uma cantora e compositora brasileira. Filha do historiador neerlando-brasileiro[1] Sérgio Buarque de Holanda com Maria Amélia Cesário Alvim e irmã do cantor e compositor Chico Buarque e das também cantoras Ana de Hollanda e Cristina Buarque.
2 Dec 2008
3408
Share Video

4:07
Raridade - O primeiro encontro entre o diplomata Vinicius de Moraes e o jovem - e já afamado - compositor Antonio Carlos Jobim aconteceu em um bar no centro do Rio de Janeiro , em 1956. Desta parceria nasceram belas composições que se tornaram conhecidas em todo o mundo, tais como - Felicidade - Garota de Ipanema - Chega de Saudade, entre tantas outras. Gravado em 18 de outubro de 1978, esse concerto é um registro inédito, raro e único da apresentação destes dois - monstros sagrados - da música brasileira nos estúdios da RTSI televisione svizzera. o show - que tem participação especial de Toquinho e Miúcha - reúne grandes sucessos da dupla Vinícius & Jobim, além da parceria destes com outro autores, entre eles Chico Buarque e Caetano Veloso, No repertório canções como: Tarde em Itapuã, Desafinado, wave, águas de março, samba do avião, o que será e muito mais. Além do próprio Jobim ao piano e de Toquinho no violão,os músicos Azeitona - baixo - Mutinho - bateria - Roberto Sion - flauta e sax - e Georgina de Moraes - percusão - mostram ao mundo toda a elegância e a beleza da musica brasileira. vai levando samba para vinícius a felicidade água de beber sei lá berimbau consolação canto de ossanha Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim (Rio de Janeiro, 25 de janeiro de 1927 — Nova Iorque, 8 de dezembro de 1994), mais conhecido como Tom Jobim, foi um compositor, maestro, pianista, cantor, arranjador e violonista brasileiro. É considerado um dos maiores expoentes da música brasileira e um dos criadores do movimento da Bossa Nova. Tom Jobim é um dos nomes que melhor representa a música brasileira na segunda metade do século XX e é praticamente uma unanimidade entre críticos e público em termos de qualidade e sofisticação musical.Dorival Caymmi (Salvador, 30 de abril de 1914 — Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2008) foi um cantor, compositor, pintor e ator brasileiro. Compôs inspirado pelos hábitos, costumes e as tradições do povo baiano[1]. Tendo como forte influência a música negra, desenvolveu um estilo pessoal de compor e cantar, demonstrando espontaneidade nos versos, sensualidade e riqueza melódica. Morreu em 16 de agosto de 2008, aos 94 anos, em casa, às seis horas da manhã, por conta de insuficiência renal e falência múltipla dos orgãos em consequência de um câncer renal que possuia há 9 anos.[2]. Permanecia em internação domiciliar desde dezembro de 2007. Poeta popular, compôs obras como Marina, Modinha para Gabriela, Maracangalha, Saudade de Itapuã, O Dengo que a Nega Tem, Rosa Morena. Filho de Durval Henrique Caymmi e Aurelina Soares Caymmi, era casado com Adelaide Tostes, a cantora Stella Maris. Todos os seus três filhos são também cantores: Dori Caymmi, Danilo Caymmi e Nana Caymmi Marcus Vinicius da Cruz de Melo Moraes (Rio de Janeiro, 19 de outubro de 1913 — Rio de Janeiro, 9 de julho de 1980) foi um diplomata, jornalista, poeta e compositor brasileiro. Poeta essencialmente lírico, o poetinha (como ficou conhecido) notabilizou-se pelos seus sonetos, forma poética que se tornou quase associada ao seu nome. Conhecido como um boêmio inveterado, fumante e apreciador do uísque, era também conhecido por ser um grande conquistador. O poetinha casou-se por nove vezes ao longo de sua vida. Sua obra é vasta, passando pela literatura, teatro, cinema e música. No campo musical, o poetinha teve como principais parceiros Tom Jobim, Toquinho, Baden Powell e Carlos Lyra.Antonio Pecci Filho, conhecido como Toquinho, (São Paulo, 6 de julho de 1946) é um cantor, compositor e violonista brasileiro. Ganhou o hipocorístico Toquinho da mãe e já aos quatorze anos começou a ter aulas de violão com Paulinho Nogueira. Estudou harmonia com Edgar Janulo, violão clássico com Isaías Sávio e fez curso de orquestração com Léo Peracchi. Teve aulas e tornou-se amigo de Oscar Castro Neves.Heloísa Maria Buarque de Hollanda (Rio de Janeiro, 30 de novembro de 1937), mais conhecida como Miúcha, é uma cantora e compositora brasileira. Filha do historiador neerlando-brasileiro[1] Sérgio Buarque de Holanda com Maria Amélia Cesário Alvim e irmã do cantor e compositor Chico Buarque e das também cantoras Ana de Hollanda e Cristina Buarque.
2 Dec 2008
3652
Share Video

2:26
Raridade - O primeiro encontro entre o diplomata Vinicius de Moraes e o jovem - e já afamado - compositor Antonio Carlos Jobim aconteceu em um bar no centro do Rio de Janeiro , em 1956. Desta parceria nasceram belas composições que se tornaram conhecidas em todo o mundo, tais como - Felicidade - Garota de Ipanema - Chega de Saudade, entre tantas outras. Gravado em 18 de outubro de 1978, esse concerto é um registro inédito, raro e único da apresentação destes dois - monstros sagrados - da música brasileira nos estúdios da RTSI televisione svizzera. o show - que tem participação especial de Toquinho e Miúcha - reúne grandes sucessos da dupla Vinícius & Jobim, além da parceria destes com outro autores, entre eles Chico Buarque e Caetano Veloso, No repertório canções como: Tarde em Itapuã, Desafinado, wave, águas de março, samba do avião, o que será e muito mais. Além do próprio Jobim ao piano e de Toquinho no violão,os músicos Azeitona - baixo - Mutinho - bateria - Roberto Sion - flauta e sax - e Georgina de Moraes - percusão - mostram ao mundo toda a elegância e a beleza da musica brasileira. vai levando samba para vinícius a felicidade água de beber sei lá berimbau consolação canto de ossanha Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim (Rio de Janeiro, 25 de janeiro de 1927 — Nova Iorque, 8 de dezembro de 1994), mais conhecido como Tom Jobim, foi um compositor, maestro, pianista, cantor, arranjador e violonista brasileiro. É considerado um dos maiores expoentes da música brasileira e um dos criadores do movimento da Bossa Nova. Tom Jobim é um dos nomes que melhor representa a música brasileira na segunda metade do século XX e é praticamente uma unanimidade entre críticos e público em termos de qualidade e sofisticação musical.Dorival Caymmi (Salvador, 30 de abril de 1914 — Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2008) foi um cantor, compositor, pintor e ator brasileiro. Compôs inspirado pelos hábitos, costumes e as tradições do povo baiano[1]. Tendo como forte influência a música negra, desenvolveu um estilo pessoal de compor e cantar, demonstrando espontaneidade nos versos, sensualidade e riqueza melódica. Morreu em 16 de agosto de 2008, aos 94 anos, em casa, às seis horas da manhã, por conta de insuficiência renal e falência múltipla dos orgãos em consequência de um câncer renal que possuia há 9 anos.[2]. Permanecia em internação domiciliar desde dezembro de 2007. Poeta popular, compôs obras como Marina, Modinha para Gabriela, Maracangalha, Saudade de Itapuã, O Dengo que a Nega Tem, Rosa Morena. Filho de Durval Henrique Caymmi e Aurelina Soares Caymmi, era casado com Adelaide Tostes, a cantora Stella Maris. Todos os seus três filhos são também cantores: Dori Caymmi, Danilo Caymmi e Nana Caymmi Marcus Vinicius da Cruz de Melo Moraes (Rio de Janeiro, 19 de outubro de 1913 — Rio de Janeiro, 9 de julho de 1980) foi um diplomata, jornalista, poeta e compositor brasileiro. Poeta essencialmente lírico, o poetinha (como ficou conhecido) notabilizou-se pelos seus sonetos, forma poética que se tornou quase associada ao seu nome. Conhecido como um boêmio inveterado, fumante e apreciador do uísque, era também conhecido por ser um grande conquistador. O poetinha casou-se por nove vezes ao longo de sua vida. Sua obra é vasta, passando pela literatura, teatro, cinema e música. No campo musical, o poetinha teve como principais parceiros Tom Jobim, Toquinho, Baden Powell e Carlos Lyra.Antonio Pecci Filho, conhecido como Toquinho, (São Paulo, 6 de julho de 1946) é um cantor, compositor e violonista brasileiro. Ganhou o hipocorístico Toquinho da mãe e já aos quatorze anos começou a ter aulas de violão com Paulinho Nogueira. Estudou harmonia com Edgar Janulo, violão clássico com Isaías Sávio e fez curso de orquestração com Léo Peracchi. Teve aulas e tornou-se amigo de Oscar Castro Neves.Heloísa Maria Buarque de Hollanda (Rio de Janeiro, 30 de novembro de 1937), mais conhecida como Miúcha, é uma cantora e compositora brasileira. Filha do historiador neerlando-brasileiro[1] Sérgio Buarque de Holanda com Maria Amélia Cesário Alvim e irmã do cantor e compositor Chico Buarque e das também cantoras Ana de Hollanda e Cristina Buarque.
2 Dec 2008
1351
Share Video

3:05
Raridade - O primeiro encontro entre o diplomata Vinicius de Moraes e o jovem - e já afamado - compositor Antonio Carlos Jobim aconteceu em um bar no centro do Rio de Janeiro , em 1956. Desta parceria nasceram belas composições que se tornaram conhecidas em todo o mundo, tais como - Felicidade - Garota de Ipanema - Chega de Saudade, entre tantas outras. Gravado em 18 de outubro de 1978, esse concerto é um registro inédito, raro e único da apresentação destes dois - monstros sagrados - da música brasileira nos estúdios da RTSI televisione svizzera. o show - que tem participação especial de Toquinho e Miúcha - reúne grandes sucessos da dupla Vinícius & Jobim, além da parceria destes com outro autores, entre eles Chico Buarque e Caetano Veloso, No repertório canções como: Tarde em Itapuã, Desafinado, wave, águas de março, samba do avião, o que será e muito mais. Além do próprio Jobim ao piano e de Toquinho no violão,os músicos Azeitona - baixo - Mutinho - bateria - Roberto Sion - flauta e sax - e Georgina de Moraes - percusão - mostram ao mundo toda a elegância e a beleza da musica brasileira. vai levando samba para vinícius a felicidade água de beber sei lá berimbau consolação canto de ossanha Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim (Rio de Janeiro, 25 de janeiro de 1927 — Nova Iorque, 8 de dezembro de 1994), mais conhecido como Tom Jobim, foi um compositor, maestro, pianista, cantor, arranjador e violonista brasileiro. É considerado um dos maiores expoentes da música brasileira e um dos criadores do movimento da Bossa Nova. Tom Jobim é um dos nomes que melhor representa a música brasileira na segunda metade do século XX e é praticamente uma unanimidade entre críticos e público em termos de qualidade e sofisticação musical.Dorival Caymmi (Salvador, 30 de abril de 1914 — Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2008) foi um cantor, compositor, pintor e ator brasileiro. Compôs inspirado pelos hábitos, costumes e as tradições do povo baiano[1]. Tendo como forte influência a música negra, desenvolveu um estilo pessoal de compor e cantar, demonstrando espontaneidade nos versos, sensualidade e riqueza melódica. Morreu em 16 de agosto de 2008, aos 94 anos, em casa, às seis horas da manhã, por conta de insuficiência renal e falência múltipla dos orgãos em consequência de um câncer renal que possuia há 9 anos.[2]. Permanecia em internação domiciliar desde dezembro de 2007. Poeta popular, compôs obras como Marina, Modinha para Gabriela, Maracangalha, Saudade de Itapuã, O Dengo que a Nega Tem, Rosa Morena. Filho de Durval Henrique Caymmi e Aurelina Soares Caymmi, era casado com Adelaide Tostes, a cantora Stella Maris. Todos os seus três filhos são também cantores: Dori Caymmi, Danilo Caymmi e Nana Caymmi Marcus Vinicius da Cruz de Melo Moraes (Rio de Janeiro, 19 de outubro de 1913 — Rio de Janeiro, 9 de julho de 1980) foi um diplomata, jornalista, poeta e compositor brasileiro. Poeta essencialmente lírico, o poetinha (como ficou conhecido) notabilizou-se pelos seus sonetos, forma poética que se tornou quase associada ao seu nome. Conhecido como um boêmio inveterado, fumante e apreciador do uísque, era também conhecido por ser um grande conquistador. O poetinha casou-se por nove vezes ao longo de sua vida. Sua obra é vasta, passando pela literatura, teatro, cinema e música. No campo musical, o poetinha teve como principais parceiros Tom Jobim, Toquinho, Baden Powell e Carlos Lyra.Antonio Pecci Filho, conhecido como Toquinho, (São Paulo, 6 de julho de 1946) é um cantor, compositor e violonista brasileiro. Ganhou o hipocorístico Toquinho da mãe e já aos quatorze anos começou a ter aulas de violão com Paulinho Nogueira. Estudou harmonia com Edgar Janulo, violão clássico com Isaías Sávio e fez curso de orquestração com Léo Peracchi. Teve aulas e tornou-se amigo de Oscar Castro Neves.Heloísa Maria Buarque de Hollanda (Rio de Janeiro, 30 de novembro de 1937), mais conhecida como Miúcha, é uma cantora e compositora brasileira. Filha do historiador neerlando-brasileiro[1] Sérgio Buarque de Holanda com Maria Amélia Cesário Alvim e irmã do cantor e compositor Chico Buarque e das também cantoras Ana de Hollanda e Cristina Buarque.
2 Dec 2008
1396
Share Video