Results for: planejamento Search Results
Family Filter:
7:48
Para enfrentar um ano de mudancas radicais e' muito mais importante estar equipado com um pensamento estrategico de carreira do que com um planejamento estrategico. Um planejamento engessado pode impedir o profissional de enxergar oportunidades.
25 Jan 2009
2181
Share Video

11:12
Workshop MP8 - Marketing e Planejamento Workshop de marketing e planejamento ministrado pelo instituto Napoleon Hill em janeiro de 2009.
22 May 2009
326
Share Video

5:30
As etapas para conqustas profissionais e empresariais: Estratégias e Planejamento (Prof.Sérgio Dal Sasso)
23 Sep 2007
1564
Share Video

2:08
O deputado Luiz Paulo fala sobre a falta de planejamento urbano na Região Metropolitana do Estado do Rio de Janeiro. Falta essa que resultou em uma grande tragédia de desabamento de encostas em áreas de risco no Rio de Janeiro. *******www.luizpaulo****.br
31 Aug 2010
405
Share Video

13:23
programa exibido em 15/06/2008. Acesse: www.vidaja****
14 Jun 2008
313
Share Video

29:45
video para aula
1 Mar 2018
15
Share Video

8:45
Planejamento de carreira, dicas para se posicionar no mercado e manter a empregabilidade.
1 Jun 2008
944
Share Video

0:22
Video empresarial produtora de audio e video Audiofive produções a qualidade que sua empresa procura (11) 6442-0877 www.audiofive**** estratégia empresarial, marketing empresarial, video planejamento estrategico Distributed by Tubemogul.
27 Jan 2010
381
Share Video

5:36
Conheça sobre ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS através de um curso on-line com slide-show.Outras aulas disponíveis em www.ensina**** parceria ESTAÇÃO DO TURISMO
30 Apr 2008
728
Share Video

6:12
Maringá é um município do noroeste do estado brasileiro do Paraná. É uma cidade planejada de urbanização recente, sendo a terceira maior do estado em população. Destaca-se pela qualidade de vida e por ser um importante entroncamento rodoviário regional. A cidade é uma das mais arborizadas do país.
28 Nov 2009
1875
Share Video

1:49
Curso de pós-graduação (lato sensu) em Gestão da Comunicação Integrada, oferecido pelo Centro Universitário Senac, oferece uma abordagem sistêmica e de estratégia unificada para as demandas de comunicação existentes no cenário corporativo – sejam elas voltadas à comunicação com o mercado, institucionais ou direcionadas ao ambiente interno. Para isso, apresentará os temas transversais que dão alicerce às discussões de concepção estratégica da área: branding, consumidor final e stakeholders. Carga horária: 366 horas Para mais informações, acesse *******migre.me/2ZcQ5 *******www.sp.senac.br/pos-graduacao
5 Jan 2011
300
Share Video

0:31
Segundo comercial para o Ford Ecosport feito pela JWT ============================== Cliente: Ford Motors Brasil Produto: EcoSport Criação: Fábio Brandão e Theo Rocha Direção de criação: Ricardo Chester, Fábio Brandão, Theo Rocha Planejamento: Daniel Tomazo e Paulo Macari Direção de planejamento: Ken Fujioka Mídia: Ricardo Breves, Rosane Rocha e Maura Ruiz Direção de mídia: Ezra Geld Atendimento: Carolina Rocha, Rafaela Nocciolini, Marcela Megale Direção de atendimento: Sérgio Silveira Aprovação cliente: Jorge Chear, Antonio Baltar, Rodrigo Lourenço, Maurício Greco e Rode Alves Produção de RTV: Anna Böhm Direção de RTV: Anna Böhm Produtora: Nuclear e Lobo Diretor: Oscar Rodrigues Alves e Mateus de Paula Santos Fotografia: Lito Mendes da Rocha Direção de arte: Paulinho Ribeiro Computação gráfica: Lobo Produção: Nuclear Montagem: Rogério Ferreira e Oscar Rodrigues Alves Finalização: Vetor Zero/Lobo Produtora de som: Saxsofunny Locução: André
29 Oct 2007
1820
Share Video

0:31
Novo filme para o Ford EcoSport feito pela JWT ================================= Cliente: Ford Motors Brasil Produto: EcoSport Criação: Fábio Brandão e Theo Rocha Direção de criação: Ricardo Chester, Fábio Brandão, Theo Rocha Planejamento: Daniel Tomazo e Paulo Macari Direção de planejamento: Ken Fujioka Mídia: Ricardo Breves, Rosane Rocha e Maura Ruiz Direção de mídia: Ezra Geld Atendimento: Carolina Rocha, Rafaela Nocciolini, Marcela Megale Direção de atendimento: Sérgio Silveira Aprovação cliente: Jorge Chear, Antonio Baltar, Rodrigo Lourenço, Maurício Greco e Rode Alves Produção de RTV: Anna Böhm Direção de RTV: Anna Böhm Produtora: Nuclear e Lobo Diretor: Oscar Rodrigues Alves e Mateus de Paula Santos Fotografia: Lito Mendes da Rocha Direção de arte: Paulinho Ribeiro Computação gráfica: Lobo Produção: Nuclear Montagem: Rogério Ferreira e Oscar Rodrigues Alves Finalização: Vetor Zero/Lobo Produtora de som: Saxsofunny Locução: André
26 Oct 2007
2313
Share Video

2:23
3º Mídia Café da AUNICA será no Café Octavio AUNICA the tagnology company promove a 3ª edição do Mídia Café Debate, com o apoio do portal de notícias AdNews e reúne diversos profissionais da área de Propaganda e Marketing para debater a crise econômica mundial como a oportunidade definitiva da mídia online conquistar mais espaço no bolo publicitário Em sua terceira edição, o café da manhã da comunicação digital brasileira, discutirá como a maior crise do capitalismo mundial desde 1929 pode ser uma situação favorável para clientes, anunciantes e prestadores de serviço da mídia online. O debate será ao vivo no dia 9 de dezembro, a partir das 8h30, com transmissão do Adnews TV diretamente do Café Octavio. O evento conta com a participação de profissionais de grande importância para o mercado digital e a discussão irá girar em torno das perspectivas a serem concluídas com as inúmeras mudanças relevantes na estrutura da publicidade digital brasileira. A grande sacada estratégica - aliada a planejamento e cautela com planos de mídia - é a combinação entre o processo de trabalho ideal com o uso da tecnologia correta para os objetivos finais da campanha. “A maior diferença está na aplicação do conhecimento, pois capacidade e inovação são fundamentais para tomar as decisões corretas no mundo dos negócios. Tal aspecto sempre esteve presente na evolução humana. Além disso, a partir da escolha correta da tecnologia para inteligência digital, o controle de risco e retorno do budget é muito grande, o que assegura investimento certeiro para os objetivos do cliente”, afirma Roberto Eckersdorff, CEO da Aunica e um dos idealizadores do debate. “Nosso objetivo é, durante o ano de 2009, realizarmos um encontro em cada Estado diferente, entre Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Brasília, reunindo executivos de agências e anunciantes da região para concentrar as mudanças do mercado nacional, quebrando as diferenças de uma região para outra que está mais desenvolvida e atualizada”, afirma Manuel Materon – diretor de Planejamento e estratégia da AUNICA the tagnology company. Profissionais como Ana Maria Nubié, VP de Atendimento da AgênciaClick; Eco Moliterno, VP de Criação da Wunderman; André Matarazzo, VP de Criação da Gringo; João Signorelli, Marketing Digital da GM e Patrícia Barbieri, Diretora de Mídia da L’Oreal do Brasil toparam o desafio de debater esses temas tão relevantes para o mercado digital. No primeiro debate do Midia Café, realizado na Centenária Confeitaria Colombo no Rio de Janeiro, o tema abordado foi “A mudança de comportamento do consumidor, da Mídia Analógica para a Digital. Como acompanhar esta mudança e entender os novos cenários”. Na segunda edição, que aconteceu no Terraço Itália, na cidade de São Paulo, o tema abordado foi a inclusão da classe C nas mídias digitais. E agora, na terceira edição do Mídia café Debate, o tema abordado será a crise econômica mundial como a oportunidade definitiva da mídia online conquistar mais espaço no bolo publicitário. Para mais informações é só entrar em contato com Adriana Azevedo e Pedro Sorrentino: adrianaaunica**** e pedroaunica**** ou pelos telefones: 2148-0313 e 8551-5786
26 Nov 2008
584
Share Video

0:13
Zélia Maria Cardoso de Mello (São Paulo, 20 de setembro de 1953) é uma economista brasileira.Zélia foi ministra da Fazenda, empossada em 15 de março de 1990 na posse de seu primo Fernando Collor na Presidência e deixou o ministério em 10 de maio de 1991. Com Zélia Cardoso de Mello, o Brasil conheceu uma época de mudanças, marcando "uma revolução" [1] em vários níveis da administração pública e na macroeconomia: privatização, abrindo-se pela primeira vez às importações, modernização industrial e tecnológica, redução da dívida do setor público e recessão. Zélia foi a mentora do Plano Collor, adotado pelo então presidente Collor, em conjunto com os economistas Antônio Kandir e Ibrahim Eris. Segundo a revista Istoé Dinheiro, foi a mulher que mais acumulou poder em toda história republicana. Atualmente mora em Nova Iorque com os dois filhos que teve do casamento com o ator e humorista Chico Anysio. Em 2006 Zélia foi absolvida pelo Superior Tribunal Federal das acusações desencadeadas no Governo Collor.Passagens pelos setores privado e público. Em 1976/77 foi economista na Companhia Estadual de Casas Populares (CECAP) (São Paulo). Foi analista senior do Banco Auxiliar de São Paulo (1977/78) e consultora da empresa Dummont Assessoria e Planejamento SC Ltda, (São Paulo, 1978). Em 1981/82 atuou como economista junto à Embaixada do Brasil em Londres. Integrou o Conselho Fiscal da Companhia Energética Paulista (CESP) (1983/1987) e assumiu a Diretoria Financeira administrativa da Companhia de Desenvolvimento Habitacional de São Paulo (1984/1986). Realizações da ministra Zélia As medidas que marcaram os 14 meses da ministra no poder Confisco o Em março de 1990, determinou que saldos em contas acima de 50 mil cruzados novos fossem bloqueados por 18 meses Abertura o Reduziu alíquotas de importação, atraindo produtos estrangeiros para o mercado nacional, o que acirrou a competição Inflação o Acabou com a hiperinflação de cerca de 80% ao mês, mas houve recessão, aumento do desemprego e redução da renda per capita.nocentada pela Justiça num processo que se arrastou por 14 anos, a ex-ministra Zélia Cardoso de Mello associa-se a um fundo de investimentos que busca oportunidades no Brasil.Foram 14 meses de um brilho intenso e fugaz, seguidos por 14 anos de uma longa e penosa espera. Eis um resumo da trajetória recente de Zélia Cardoso de Mello, a mulher mais poderosa que o Brasil já conheceu. Entre março de 1990 e maio de 1991, enquanto foi ministra da Fazenda, essa dama de ferro esteve à frente de uma autêntica revolução e não há outra palavra para resumir o que ela fez em tão pouco tempo. Com Zélia, o Brasil abriu-se às importações, descobriu as privatizações e modernizou sua indústria. Foi também na era Zélia que o País testou o pacote econômico que entrou para a história com a inglória marca do confisco. Mas, se o plano não eliminou a inflação, ao menos preparou terreno para o Real e evitou algo pior: a hiperinflação. Só isso já bastaria para que a ministra Zélia fosse reconhecida como alguém que assentou tijolos importantes na catedral da estabilização. Em 1992, porém, sua vida mudou. No turbilhão de denúncias que marcou o fim do governo Collor, numa época em que o PT ainda se especializava em estraçalhar reputações, Zélia foi acusada de favorecer o chamado esquema PC Farias com um simples reajuste de tarifas de ônibus. Só agora, 14 anos depois, os processos foram encerrados de vez. Inocentada, ela revelou à DINHEIRO que seus olhos novamente estão voltados ao Brasil.Associada ao fundo Jina Ventures, um private equity de origem indiana, Zélia quer descobrir bons negócios no País. Estou prospectando oportunidades e vejo que os setores mais promissores são imóveis, energia, comunicações e agronegócio, disse ela.Na sua mais recente vinda ao Brasil, em julho e agosto deste ano, Zélia esteve acompanhada de Ron Shah, o eia, de 12 anos, estão plenamente adaptados à vida norte-americana. Mas devo vir cada vez mais ao Brasil, revela a ex-ministra. Zélia e Shah conheceram-se de forma curiosa foi num evento para arrecadar fundos para candidatos do Partido Democrata, nos Estados Unidos. Ali nasceu a parceria e Zélia ganhou o cargo de Senior Brazil Advisor do Jina Ventures. Hoje, o que mais a empolga nessa nova etapa de sua vida profissional são as oportunidades em torno dos chamados BRIC´s Brasil, Rússia, Índia e China. São mercados que deverão crescer muito nos próximos anos, diz ela.Livre dos processos e das acusações que pesaram contra si, ela também pretende se dedicar a novos projetos no Brasil.
28 Nov 2008
2512
Share Video

2:58
Rede Record de TV - Lúcio Castelo Branco - Professor da UNB.possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1969) , graduação em Ciências Humanas e Filosofia pela Universidade Federal Fluminense (1971) , graduação em Psicanálise pela Spob (2001) , especialização em Planejamento Urbano e Regional Plamur pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1972) , mestrado em Ciências Sociais pela Universitat Erlangen-Nurnberg (Friedrich-Alexander) (1977) , doutorado em Ciências Econômicas e Sociais pela Universitat Erlangen-Nurnberg (Friedrich-Alexander) (1981) , pós-doutorado pela Institute Latine Americano (1988) e pós-doutorado pela Universitat Erlangen-Nurnberg (Friedrich-Alexander) (1991) . Convidaram a pessoa errada para falar sobre a independência do Brasil - 7 de setembro.Ele meteu o pau e os apresentadores ficaramm sem ação.. Vale a pena ver de novo. Denomina-se Independência do Brasil ao processo que culminou com a emancipação política desse país do reino de Portugal, no início do século XIX. Oficialmente, a data comemorada é a de 7 de setembro de 1822, quando ocorreu o episódio do chamado "Grito do Ipiranga". De acordo com a história oficial, nesta data, às margens do riacho Ipiranga (atual cidade de São Paulo), o Príncipe Regente D. Pedro bradou perante a sua comitiva: Independência ou Morte!. Determinados aspectos dessa versão, no entanto, são contestados por alguns historiadores.A moderna historiografia em História do Brasil remete o início do processo de independência à chegada da Corte Portuguesa ao Brasil, no contexto da Guerra Peninsular, a partir de 1808. Apesar de ter servido de instrumento dos interesses da aristocracia rural, à qual convinha a solução monárquica para a independência, não se deve desprezar os seus próprios interesses. O Príncipe tinha formação absolutista e por isso se opusera à Revolução do Porto, de caráter liberal. Da mesma forma, a política recolonizadora das Cortes desagradou à opinião pública brasileira. E foi nisso que se baseou a aliança entre D. Pedro e o "partido brasileiro". Assim, embora a independência do Brasil possa ser vista, objetivamente, como obra da aristocracia rural, é preciso considerar que teve início como compromisso entre o conservadorismo da aristocracia rural e o absolutismo do Príncipe.Em 7 de Setembro, ao voltar de Santos, parado às margens do riacho Ipiranga, D. Pedro recebeu uma carta com ordens de seu pai para que voltasse para Portugal, se submetendo ao rei e às Cortes. Vieram juntas outras duas cartas, uma de José Bonifácio, que aconselhava D. Pedro a romper com Portugal, e a outra da esposa, Maria Leopoldina de Áustria, apoiando a decisão do ministro e advertindo: "O pomo está maduro, colhe-o já, senão apodrece".Impelido pelas circunstâncias, D. Pedro pronunciou a famosa frase "Independência ou Morte!", rompendo os laços de união política com Portugal.Culminando o longo processo da emancipação, a 12 de outubro de 1822, o Príncipe foi aclamado Imperador com o título de D. Pedro I, sendo coroado em 1 de dezembro na Capital.À semelhança do processo de independência de outros países latino-americanos, o de independência do Brasil preservou o "status" das elites agro-exportadoras, que conservaram e ampliaram os seus privilégios políticos, econômicos e sociais.Ao contrário do ideário do Iluminismo, e do que desejava, por exemplo, José Bonifácio de Andrada e Silva, a escravidão foi mantida, assim como os latifúndios, a produção de gêneros primários voltada para a exportação e o modelo de governo monárquico.Para ser reconhecido oficialmente, o Brasil negociou com a Grã-Bretanha e aceitou pagar indenizações de 2 milhões de libras esterlinas a Portugal. A Grã-Bretanha saiu lucrando, tendo início o endividamento externo do Brasil. Quando D. João VI retornou a Lisboa, por ordem das Cortes, levou todo o dinheiro que podia — calcula-se que 50 milhões de cruzados, apesar de ter deixado no Brasil a sua prataria e a enorme biblioteca, com obras raras que compõem hoje o acervo da Biblioteca Nacional. Em conseqüência da leva deste dinheiro para Portugal, o Banco do Brasil, fundado por D. João ainda 1808, veio a falir em 1829.A data comemorada oficialmente é 7 de setembro de 1822, uma vez que nesse dia, às margens do riacho Ipiranga, em São Paulo, o Príncipe Regente D. Pedro, ao receber a correspondência da Corte, teria proclamado o chamado "grito da Independência", à frente da sua escolta: "Independência ou Morte!" Outras datas consideradas historiograficamente para a Independência.
12 Dec 2008
1831
Share Video

Loading...